2 de mai de 2008

O negócio dos "Passos" sem "Conselho"


Alguém pede desde algum tempo para que se fale sobre as obras da nova câmara. Como também já faz tempo ando com essa vontade, vou abrir uma pequena discussão sobre factos simples e óbvios.


Reconhecidamente é um investimento que urge fazer e que tem sido eternamente adiado, mas convém igualmente analisar os detalhes do negócio com atenção.


Numa uma obra que custa 16.250.210,00 em que o terreno é da câmara, ficará orçamentado para manutenção e reparações qualquer coisa como 22.989.790.00 Euros, mais de quatro milhões de contos em moeda antiga, num total de 39.240.000,00 Euros!!!
Custos da obra - 5.450.00 Euros dia x 30 dias = 163.500,00 Euros por mês x 12meses = 1.962.000,00 Euros ano x 20 anos = 39.240.000,00 Euros.


Salta à vista um edifício ter cinco mil e quinhentos euros por dia de manutenção, e uma câmara com a dimensão e problemas da de Lagos despender quase dois milhões de Euros ano em manutenções…
Não menos espantoso o negócio orçar em 40 milhões de euros…
Entre outras questões, será necessário a câmara gastar quase duzentos mil euros mês em manutenção, quando tem recursos internos desaproveitados e que poderiam ser alocados para essa mesma manutenção, tornando desnecessários ir buscá-los fora, por conseguinte poupando dinheiro.


Depois, e quando realmente for necessário, daqui a 20 anos, verdadeiras obras de manutenção por o edifício começar a ficar obsoleto, passa para as mão da câmara, que contratará “outra” Neocivil para fazer as respectivas obras.


A isto chamo gestão de merceeiro.


Parece-me que a nível de contas a câmara ficará estrangulada sem hipóteses de grandes investimentos no futuro, e que quem ficará com o menino nos braços serão as futuras presidências que irão herdar uma divida mensal na ordem dos duzentos mil euros, ficando à partida limitadas no seu raio de acção.


Outro acto, chamemos-lhe diferente, a junção dos departamentos da câmara, quando hoje em dia a separação dos mesmos é o usual. A construção em separado tem feito escola, porque pode-se desenvolver zonas menos populosas ou degradadas com estas infra-estruturas, dinamizando áreas e promovendo até a construção. Mas o Sr. Barroso e equipa não têm capacidade para pensar em tudo…


As câmaras querem fugir aos endividamentos, pois estão com a corda na garganta, Lagos que não está, e não foi por causa do Sr. Barroso, vai contrair uma divida pesadíssima para 20 anos, ainda por cima a um privado. Não era preferível à banca!?!?!

O que interessa agora é a obra que enche o olho, dá para tirar uma fotografias giras a fazer um figurão...quem vier atrás que feche a porta, eu já cá não estou….e não terei responsabilidades. Fico para a posteridade como o grande mentor do projecto, com o nome cravado num mármore na porta de entrada dos Paços do Concelho.

Inaugurado por Júlio Barroso em …. Falta ver se ganha as eleições…

30 de abr de 2008

Lagos com direito ao Sonho?


Caros amigos, por motivos vários, profissionais e de outra ordem, não me tem sido possível escrever sobre os assuntos da nossa cidade.
Não que tivesse muitos leitores, ou fieis acompanhantes, era para mim uma honra ser lido por aqueles que algum interesse demonstraram nos escritos que publiquei, presenteando-me alguns deles com comentários aos posts. Uns concordando, outros discordando, mas a vida é mesmo assim. Mesmo assim para alguns… Mas já lá vamos…
Há muito que digo que a nossa classe política em Lagos está pela hora de morte.
Resume-se a Júlio Barroso, Nuno Marques, oficinas, famílias, bebedolas e tiros para o ar.
Fazem-se panelas, cozinham-se tachos, fazem-se obras para inglês ver, e destroem-se as poucas coisas belas que temos.
Vemos uma cidade estagnada no tempo, sem investimentos de futuro, e pior que isso, sem uma visão de futuro.
Que motivos damos às pessoas para visitarem Lagos? Que motivos têm as pessoas para viverem em Lagos ou acreditarem que Lagos tem um futuro.
Ficamos alegres com um Intermarché e um Modelo? Chegou o desenvolvimento…Não acham Curto?
Ok, temos as praias e o sol? Perdemos as bandeiras azuis, por esquecimento ou incompetência isso não interessa.
São sucessivos tiros nos pés. Com Portimão tão perto e agressiva no Marketing, Lagos qualquer dia é freguesia de Portimão.
Já agora, quem é que pensa estrategicamente Lagos ao nível de Marketing? Quem pensa Lagos estrategicamente para o futuro?
Será que Júlio Barroso tem capacidade para desenvolver um projecto para Lagos de Futuro?
Será que tem conhecimentos, ou está rodeado por pessoas formadas com essa finalidade?
Será que é com Lagos artificiais, casas em cima das falésias e afins que mostramos as mais valias da nossa cidade?
Será que se vai continuar a pensar em Lagos para 4 anos, para o voto, para as amizades e assim sucessivamente?
Isto para dizer que continuamos a perder tempo com questiúnculas sobre o 25 de Abril, das actas da Câmara, e dos copos que o outro bebe, o tal do diz que disse…
Ninguém discute projectos de monta, que nos façam sonhar. Mantêm-nos a discutir a bruma.
Quanto ao Sr. Júlio Barroso, para esse o 25 de Abril existiu enquanto não teve poder. Serviu para subir na vida, criar um negócio e estabilizar-se profissionalmente.
Quando o teve, conquistando-o com a principal arma democrática, mostrou laivos ditatoriais, amordaçou a oposição, mostrou-se arrogante fazendo orelhas moucas aos discordantes, reprimindo os críticos e ao melhor estilo ditatorial, controlando os media.
Cabe-nos agora usar igualmente o 25 Abril para mudar o estado de coisas.
Pedem-se soluções, alternativas, competência, e o direito ao sonho.



23 de fev de 2008

Mesa Redonda encosta-se ao PS?


Bastas vezes elogiei o blogue Mesa Redonda. É um espaço que aborda vários temas interessantes, colocando-os à discussão dos leitores, permitindo que cada um opine segundo os seus ideais fomentado o debate de ideias.
Hoje estou em desacordo com o texto escrito sobre Nuno Marques.”PSD Lagos: Marques sucede a Marques (o estilo Coreia)
A começar pelo titulo que me parece de todo desajustado à realidade.
Tomando os escribas do Mesa Redonda como pessoas informadas, comparar a eleição de Nuno Marques com o que se passa no regime Norte Coreano, mostra ser no mínimo um exercício de má fé. Outra hipótese pode ser que quem escreveu o artigo não saiba com exactidão como funciona a “democracia” na Coreia do Norte (presumo que seja esta). Por fim, talvez por qualquer dificuldade, não se inteirou que Nuno Marques foi eleito democraticamente pelo seu partido, e não de qualquer outra forma musculada, e que o levou por engano a tão disparatado titulo.
“Uma trintena de "gatos pingados" terem sufragado a liderança "…”.
Esta foi mais uma tirada escrita pelo autor do texto, que se arrogou de apelidar quem votou em Nuno Marques de “gato pingado”. Porquê? São Menos dignos que o senhor? Porque exerceram um dos direitos mais importantes do mundo? Não lhe merecem consideração? Ou o Senhor situa-se numa bitola tão elevada que os outros são nada? Ou está pelo PS?
“Ansiando e ambicionando com toda a sofreguidão, sem ideias nem programa”.
Esta referência não será legítima a Nuno Marques? O senhor não ambiciona a nada? Ou talvez não tenha classe para ambicionar sofregamente alguma coisa na vida?
Quanto a não ter ideias o senhor mais uma vez não é correcto, porque ainda não começou a campanha, nem Nuno Marques se apresentou formalmente como candidato.
Outro ponto, acredito que o senhor receba o email que Nuno Marques envia periodicamente com ideias e criticas.
Não ter oposição e Valentim Rosado apoiar a sua candidatura talvez demonstre o reconhecimento pelo bom trabalho de anos à frente do partido, e não um partido moribundo.
Não tendo o seu dom de adivinho ou de vidente, quem sabe o futuro Zandinga de Lagos, concordo consigo que dificilmente Nuno Marques conseguirá chegar à tão almejada cadeira, fazendo o senhor um trabalho meritório para que isso aconteça.

Termino dizendo que gosto muito do Mesa Redonda, mas igualmente acho que esta ligeireza não ajuda à credibilidade do espaço nem auxilia a termos um Nuno Marques forte (já que vai ser ele o candidato) que faça uma oposição séria, para que tenhamos uma melhor cidade.


13 de fev de 2008

Nuno Marques o proscrito!

Segundo sabemos as eleições no PSD Lagos são daqui os escassos dias.
É público que Nuno Marques vai concorrer sozinho às eleições do partido, não terá oposição à candidatura que apresentou, tal como não tem tido à sua liderança, no par de anos que se vê à frente dos destinos laranja.
Daqui podemos tirar duas conclusões:
1º - Nuno Marques é muito bom.
2º - O partido está parco de soluções.
Provavelmente será um misto das duas. A qualidade do jovem Nuno Marques, e os anos que esteve à frente do partido, dão-lhe nestas eleições o direito de ser “consensual” no PSD Lagos. Para isso aniquilou a concorrência interna, rodeou-se das figuras que lhe poderiam ser incómodas, e colocou-se na posição de poder vir a ser o futuro candidato à câmara de Lagos. Nada mais justo. É obra para um “novato”!
Pode-se dizer igualmente que o PSD Lagos está moribundo. O principal partido da oposição não ter disputa nas eleições internas que darão direito a lutar pela presidência da cidade, dá que pensar. Ainda para mais quando Nuno Marques, segundo as vozes correntes, não tem capacidades para ocupar a principal cadeira da cidade. Se mesmo assim não tem concorrência…
Ou será que Nuno Marques tem mais capacidade do que se diz por aí?
Como prefiro optar pelo positivo. Acredito que Nuno Marques está nesta posição porque lutou por isso e tem capacidade para lutar dignamente nas futuras eleições.
Pelo menos é alguém que dá cor e vida à política em Lagos. Não fosse ele, (E O MESA REDONDA) Júlio Barroso teria uma vida de sonho à frente dos destinos da cidade. Ao menos nisso, honra lhe seja feita.

O Campeão antecipado!


O PS está seguro quanto ao futuro candidato à presidência da Câmara. No entanto isto só acontecerá se o actual Presidente não manter a palavra dada, como tudo indica, o irá fazer.
Apesar de este aspecto estar definido, levantam-se à boca pequena, nomes de aspirantes a candidatos aos destinos da cidade.
Podemos retirar daqui, que a liderança é fraca, ou que o partido socialista é dinâmico e pluralista (internamente).
Igualmente quero acreditar que é por existir no partido rosa, várias pessoas capazes de ocupar tão apetecido lugar, e não, por estar ao rubro uma luta de interesses, tachos, ou de cadeiras.
A ver vamos os desenvolvimentos próximos.


8 de fev de 2008

A casa da Democracia em Lagos – Xpreita e Néctar

Amigos, será que não está na altura de mudarmos a nossa forma de fazer as coisas.
Vejamos como se faz política em Lagos.
No local próprio, segundo nos é dado a saber, o direito e respeito pela palavra da oposição não é de todo defendido pelo poder vigente.
A afluência de populares às reuniões de câmara a debater os assuntos da cidade é no mínimo ridícula.
Então, afinal onde se faz politica?
À “porta” do Xpreitaqui e do Néctar.
Senão vejamos, é ver o “poder” passar para baixo e para cima para ver quem lá pára, e observar se existe alguma novidade para se ir contar ao chefe, ou marcar alguém como persona non grata, pois pode estar a falar ou rir com quem não deve. É ver figuras de proa do poder local a rodar o copo de vinho provocadoramente, de sorriso matreiro para a “oposição”, com piropos bacocos, e de cinismo latente.
Os donos do espaço recebem tão distintos clientes, com graciosidade, como se fossem as pessoas mais desejadas para ali gastarem um par de euros. Trocam-se sorrisos cínicos e facadas nas costas como quem bebe um gole do precioso néctar.
Pode-se ir mais longe, o “poder” senta-se, bebe um copo e conspira na casa do inimigo. Dá uma de cínico, faz sala, como se estar ali fosse um puro acto de diversão. Tanto não é, que por vezes a emoção é tanta, que até “tiros” existem.
Os afectos à “casa” reparam em tudo o que os rodeiam, formando um grupo que a ninguém passa despercebido. Tipo “braços direitos do chefe”, em defesa e apoio ilimitado ao chefe. Umas vezes cheios de sono, que até dó dá de ver, mas é necessário marcar o ponto para depois contar ao chefe, que se encontra no outro lado do Algarve.
Para apimentar tudo, é necessário contar as últimas “codrelhices”. Vai-se para o Mesa Redonda e afins pôr a boca no trombone. Ainda falam mal do Mesa Redonda?!?!

O Mesa Redonda é a alma dos desabafos da cidade de Lagos, além de ser o único local que chateia quem não gosta de ser incomodado. O resto está controlado….
E assim se faz política em lagos.

5 de fev de 2008

Ideias para Lagos!

Ideias para Lagos
É habitual o falar mal, denegrir, e poucas vezes dar alternativas. Dentro das minhas ideias, em seguida deixo algumas sugestões que a meu ver trariam benefícios imensos à cidade que tanto amamos.
1º - Definir a politica de turismo – Tendo a nossa cidade um manancial histórico como poucas no mundo, a meu ver poderíamos aproveitar isso para criar algo impar no Algarve. Uma cidade histórica.
Criavam-se visitas à cidade com os guias a descreverem o roteiro em várias línguas para os diferentes visitantes, funcionando todo o ano.
Adquirir um autocarro aberto no topo, que circularia durante o verão, e que faria um tour por Lagos, passando pela Praia da Luz, a terminar em Sagres, regressando posteriormente.
Esta medida, traria um novo tipo de turismo e dava identidade à nossa cidade.
2º - Abrir a muralha a visitantes - Acabar com a vergonha que é ter tão belo monumento fechado, para fins que deveriam ser dados por outras instalações, obtendo-se assim mais um pólo de interesse.
3º - Junto ao estádio criar um parque desportivo / recreativo – Já lá estão as piscinas. Era aproveitar essa zona “baldia” e criar lá um mega jardim, com corredores para bicicletas, jogging, um campo de ténis, um de futebol (5), bem como espaços verdes, bancos de repouso, um parque infantil, e uma zona de restauração. Algo que seja apelativo para todas as faixas etárias conviverem.
4º - Universidade em Lagos - Lutar por ter um pólo universitário em Lagos. Incentivava os nossos jovens a estudar e traria mais jovens que dinamizariam a cidade a vários níveis.
5º - No espaço do auditório criar aí uma zona de diversão - Em vez daquele mamarracho, inqualificável, mal concebido e inútil, erigir lá um espaço de explanadas a rodear um auditório mais pequeno onde haveriam actuações várias (musicais e outras) durante o dia e noite. Uma fonte de dimensões generosas comporia o espaço.
Quando quisermos trazer convidados musicais, primeiro devemos ter uma zona em condições, para não acontecer as vergonhas que temos visto ao longo dos anos.
6ª – No edifício da Câmara no centro da cidade – Fazer daí um Restaurante - Bar, com explanada a funcionar desde as 9 às duas da manhã.

Espero que gostem do proposto. Se não, apresentem as vossas. Vamos de deixar de ser exclusivamente críticos.
Brevemente trarei mais ideias.